• Graziela Rocha Raymundo

A Roda de Samsara X Universos Paralelos

Atualizado: 6 de Set de 2019


Primeiramente vamos explanar sobre o que são os termos Roda de Samsara e o que se denominam os Universos Paralelos dentro dos conceitos já contidos dentro das Filosofias, Religiões e demais Doutrinas Espiritualistas, bem como conceitos dos estudiosos da Expansão da Consciência Humana.

A Roda de Samsara



Roda de Samsara ou Roda da Vida é uma expressão da língua e dialeto ancestral Sânscrito. O Sânscrito teve sua origem no norte da Índia e no Nepal, apesar de ser considerado uma língua morta, compõem um grupo de 23 (vinte e três) línguas oficiais da Índia, sendo de suma importância na liturgia da tradição religiosa Hinduísta, na filosofia ou religião não teísta Budista e em uma das religiões mais antigas da Índia chamada Jainismo.

A palavra Samsara é representado pelo Bavachakra significando os ciclos de nascimentos, vidas, mortes e renascimentos ou reencarnações, onde se verifica a constância de fluxos intermináveis. A figura acima também chamada de Roda da Vida é encontrada na entrada da maioria dos Templos Budistas Tibetanos. Abraçando e segurando esta roda com os dentes esta o Senhor da Morte chamado de Yama no Hinduísmo, sendo o primeiro registro feito nos Vedas ou tradição Védica, que são obras e ou escrituras sagradas escritas em Sânscrito. No Hinduísmo, Yama foi considerado o primogênito mortal que após a morte veio controlar a roda, analisando, observando e registrando as ações dos seres humanos e encaminhando para o céu ou para o inferno conforme seu merecimento, a Lei do Carma.

A roda como podem ver acima é dividida em 06 (seis) Reinos, 03 (três) Reinos são considerados como Renascimentos Afortunados e os outros 03 (três) Reinos são considerados como Renascimentos Desafortunados. Abaixo os 06 (seis) Reinos ou Domínios do Ser: Reinos Afortunados

O Reino Humano: os maiores sofrimentos do homem são o nascimento, a doença, a velhice e a morte; isso em meio ao apego, no temor de perder os seres que amam e os bens que possuem, ou de não conseguirem obter o afeto e bens de que necessitam ou julgam necessitar.

O Reino dos Semi- deuses: são seres guerreiros de poderes extraordinários, contudo, aspiram um dia tornarem-se deuses, de quem invejam as qualidades maiores de perfeição, por isso tramam incessantemente contra estes para alçar até a plenitude dos deuses.

O Reino dos Deuses: seres benfazejos que experimentam todos os níveis de felicidade possível, desde o estado mais sutil de beatitude ao êxtase; são seres extremamente longevos, sem serem contudo imortais, onde o inevitável renascimento em algum reino inferior – pela extinção do carma positivo, é a maior causa de sofrimento. Reinos Desafortunados 

 O Reino dos Infernos: seres que experimentam raiva e ódio constantes; vivem no temor de serem agredidos e mortos pelos outros seres; eles próprios agressores, ferem e matam outros seres.

 O Reino dos Seres Famintos: seres que sentem fome e sede constantes, sempre cobiçando algo que nunca conseguem obter, vivem num sentimento de miséria sem cura.

 O Reino Animal: constam deste reino todos os animais, desde os domésticos aos selvagens, todos entretanto incapazes de obedecer outra coisa que não aos próprios instintos; do nascimento a morte, quando não sofrem ao se verem escravizados por outros seres, são dedicados integralmente à subsistência do corpo.

Ao centro da Roda, temos símbolos que sinalizam o ódio, ganância e ilusão. A casa vazia representa a não existência do eu, os cinco sentidos que o corpo expressa, compondo a mente, como órgão sensorial. A sensação física é o desejo, e consequentemente quando despertado surge o apego, e estes dois juntos leva o ser a "se tornar" representado por uma mulher em gestação, com o advindo nascimento se torna condição para a velhice e a morte, sublimado pelo sentimento de sofrimento constante. 

O Ser que segura a Roda de Samsara é Yama, o Deus da Morte, que gira esta esfera com intuito de se fazerem repetidamente estes ciclos e simultaneamente o segura com sua boca. Mas, este Deus, está com sua atmosfera ligada além do negativo e o transcende em seu ápice, fazendo o equilíbrio com o Deus Brahma. Yama interage na Roda em si, é responsável pelo seu movimento simultâneo. 

A tal libertação, dependerá de cada consciência, a transformar-se, a evoluir-se, para que possam dali liberarem-se dos carmas. Claro, quem na roda ainda não captou ou relembrou à que veio, não possuidor de um mínimo entendimento e iluminação, nem considera esta tal libertação, evolução e transcendência como meta, tendo por sinal percepções de total incredulidade do todo que habita. Mas há sim seres que estão na Roda e que tiveram ao longo de sua vida, algo que o levou a elocubrar sobre sua real transcendência, talvez até, por ter sido profundamente acometido por experiências de dor ou amor, entre outros. 

Alguns até despertaram para a luz que existia ou existe dentro de si, propiciando para que o fluxo positivo da dualidade se expandisse, em qualquer campo, mental, psíquico ou espiritual. Refletindo em si mesmo e aos outros um certo transbordamento de idéias, percepções, sentimentos, doação, instigando o bem, a si mesmos, se reconhecendo como uma unidade de um todo, expandindo luz aos seres que estão mais próximos, a sua comunidade, ou até mesmo e porque não, ao Planeta.

Fora da Roda de Samsara, está o Mestre Buda , apontando sua mão para o alto, simbolizando e mostrando que está fora dela, como exemplo de condição disponível, onde a libertação e iluminação, são possíveis. Mostrando que a Lei do Carma, de viver e reviver nesta roda ininterruptamente, poderá sim ser vencida.          Os Universos Paralelos



Os Universos Paralelos são outros e múltiplos mundos existentes simultaneamente em dimensões paralelas a nossa realidade física na Terra. Na teoria, estas realidades são constatadas e explicadas pela mecânica quântica. A ficção científica aborda estes temas constantemente, e fixam a idéia de ilusões, como se não pudessem realmente existir em outra frequência, se tornando um fato ou uma  existência real. A multiplicidade destes campos paralelos dentro da física, são compostos por uma energia classificada pelos estudiosos como energia quântica, de níveis mais sutis que a matéria, para que desta forma, possamos entender e tentar expandir nossa consciência. Embora nem todos os seres possam ou consigam visualisá-la ou adentrar nela, no momento, não quer dizer que este campo ou mundo energético não exista. 

Nosso Planeta Gaia, material, é apenas uma das infinitas moradias de consciências Planetárias. O Planeta que habitamos é passivo de estruturas densas, onde visualizamos formas, nuances, sentimos aromas, conseguimos tocar no sólido, entre outras funcionalidades que foram programadas. Portanto, para a maioria  de nós Arianos, membros da 5ª (quinta) Raça Raíz, possuímos desenvolvimento evolutivo e sensorial limitados, movidos por crenças maiores ou dogmas filosóficos  ou religiosos, que imperam também ao longo desta Era. Também  um aparelho sensorial onde nos deixamos envolver somente por aquilo que para nós é visto como concreto, isto é, real ou possível, por aquilo que nossos sentidos puderem constatar.Este fato para muitos, que não exercitam seu poder mental, limitam-se ao não crer, a não perceber, a não desenvolver em si, as possibilidades que estão disponíveis dentro de si mesmas e que o  universo oferece.  Não vamos deixar de atentar, como dissemos no 3° (terceiro) parágrafo, somos consciências evolutivas, nem todos estão com os níveis sensoriais na mesma frequência. Sendo assim,  os seres  aqui na Terra, que  possuírem seus aparelhos sensoriais  ativados e expandidos, e com seus chakras conectados com as energias disponíveis em outros planos, podem e se for permitido,  realizar experiências e vivências fantásticas  nestes mundos paralelos. Além de experienciarem tais viagens  astrais, transcendentais, não-locais, deslocamentos mentais para estes portais multidimensionais existentes, trazem para nós informações riquíssimas para nosso desenvolvimento evolutivo, e alertam que estas outras realidades fora da nossa matéria interagem e estão interagindo em nosso planeta.            

A Roda de Samsara versus Universos Paralelos



O que nos motiva a escrever este breve artigo, é com o intuito de podermos compartilhar questões que estas duas realidades vem nos trazendo ao longo das Eras. Realidades que estão nos levando a constatar determinados fatos e experiências n