• Graziela Rocha Raymundo

O Limbo do Sistema Corporativo

Atualizado: 6 de Set de 2019



Desde os primórdios da experiência nesta Era Ariana somos submetidos quase que automaticamente a servir ao sistema. Mas o que é o Sistema dentro de uma visão do macro? Vou chamar o sistema de sobrevivência em que vivemos com o nome de um filme muito conhecido pelos terráqueos, chamado “Matrix”.

"Muitos assistiram, mas somente alguns Despertando ou Despertos se atentaram ao subliminar cenário em que o script tentou mostrar à humanidade. "

O filme informou sobre um fato real, a nossa experiência aqui na Terra, a "prisão holográfica" ao qual estamos submetidos a duros aprendizados nesta dualidade insana. Este sistema já nos aguardava desta forma. Dentro de um paradigma já pronto. Nesta Era já tínhamos os modelos escravatórios e bárbaros, ainda existentes até hoje como a violência física, inaceitável para todos nós seres que vibram no lado positivo da dualidade.

Mas convivemos e assistimos outra forma de violência que massacra o psíquico e a mente humana, que se denomina também um tipo de violência, a moral. Uma lástima, pois a pessoa e ou profissional chega até a culpar-se, achando que não é bom o suficiente. Um gargalo imposto agressivamente, que não tem fim, nunca entregaremos o suficiente, para este sistema que está a sugar a energia do plasma humano.

O cenário é este. Pois nesta camada aqui na 3D, a experiência assim está para que estas consciências se transmutem, para que desenvolvam sua moral. Teste dificílimo.




"Mas cabe á você criar um paralelo de paz interior através do seu talento e criatividade mudar a sua vida, a sua libertação psíquica."

Quando começamos a estudar já somos induzidos a escolher nossa profissão e a maioria ou quase todas as escolas não oferecem à nós, a possibilidade de podermos produzir algo interessante que nos proporcionaria o desenvolvimento de nossa capacidade criativa. Existem no Brasil acredito que ainda pouquíssimas escolas que possuem esta estratégia na expansão da consciência das crianças.

Uma possibilidade que é fantástica, mas ainda de difícil acesso a massa da população, por serem escolas atendendendo um percentual ínfimo de pessoas. Não vou entrar no mérito da nossa estrutura educacional, pois sabemos a realidade estreitíssima e avassaladora, quiçá alunos em condições de acessar as escolas “fora da caixa”, como estas:


https://www.hypeness.com.br/2015/01/como-iniciativas-de-educacao-inovadoras-buscam-transformar-o-ensino-no-brasil/


Claro, que estou na torcida para que este método ainda venha a espalhar e mais alunos terem acesso à elas. Neste link vou deixar esta matéria sobre 5 escolas que oferecem este método adotado por algumas instituições que incentivam a expansão da mente humana:


https://blog.vindi.com.br/as-5-escolas-mais-inovadoras-do-brasil/


Onde eu quero chegar com o tema deste artigo? Ao ponto X da questão. Comento em alguns posts sobre a insatisfação dos meus clientes quanto a trajetória profissional que suas vidas tomaram. Quando falo “tomaram” é porque as pessoas estão vivendo no piloto automático, não possuindo em suas mãos as rédeas e o controle das suas sufocadas inspirações. É muito triste, avassalador. Pois a maioria das pessoas e ou profissionais não seguiram ou não trabalham e desenvolvem os possíveis e escondidos dons e talentos desde crianças. Hoje sobrevivem e seguem as imposições do “sistema”.

Sim, isso mesmo. Desde crianças se sentiram obrigados a ter de escolher por profissões já prontas da próprio estrutura. Mas se tivessem a oportunidade de transmutar toda a sua essência desde pequenos ou até mesmo, vamos falar assim, na sua juventude, poderiam trazer à nossa plataforma evolutiva, inovadoras e criativas maneiras de se trabalhar. Além de produtos, serviços e um leque de possibilidades, adicionando ao sistema já imposto, ramificações ao serviço da humanidade. Propostas estas que já poderíam ser mais significativas a um tempo atrás, mais cedo do que a inovação que estamos tendo hoje na atualidade, promovida pela então “crise”, onde mais e mais profissionais e pessoas estão se reinventando, para ter uma base, uma estrutura, uma salvação.

Hoje temos o empreendedorismo que está latente em nossa estrutura corporativa e autônoma, que foi um resultado de um processo de estrangulamento do sistema econômico, ou seja, metamorfoses implantadas para outros fins, que impulsionaram este efeito colateral, para o desespero de milhões de profissionais que na época, foram exonerados do sistema. Hoje, este número ainda é altíssimo e inaceitável, mas boa parte destes profissionais migraram para outras formas oferecidas de renda, tanto por aplicativos ou criações das mais diferentes possíveis, desenvolvendo uma maneira criativa pessoal em soluções e serviços.

Poderia ter sido de outra forma. As "Crises armadas" para benefício de um governo oculto, causaram impiedosamente a capacidade criativa do ser humano, bem como contribuindo para a inacessível distribuição monetária às classes.

“Oh...ainda lemos e ouvimos assim:
das crises renascem novas idéias. “



"Claro que sim. Nós humanos temos total capacidade de nos reinventar, somos seres inteligentes, não é mesmo? Não nos subestimem, CEO Sistema do Governo Oculto, r